Trabalhadora do Pingo Doce em Avintes - Vila Nova de Gaia - "obrigada a permanecer de pé na frente de loja sem fazer nada"

Denúncia teve origem no Facebook.

Fontes que foram ouvidas pela TVI, de acordo com a reportagem divulgada neste dia 25 de Fevereiro de 2020, disseram que a trabalhadora do Pingo Doce de Avintes terá estado durante três dias em pé, a cumprir horário.

Esta funcionária terá recusado uma “proposta amigável” para rescindir o contrato de trabalho e assim abandonar a empresa sem direito a quaisquer indemnizações. Infelizmente uma prática que é comum em Portugal.

Porta-voz do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços (CGTP-IN) disse à TVI que o gerente de loja colocou a funcionária do supermercado de castigo. No segundo dia terá colocado uma cadeira para esta se sentar durante algumas horas. E no terceiro voltou a estar de pé o dia todo.

Foto: Facebook

Também o Portal MSN/MSNews publicou a informação de que a trabalhadora do comércio Pingo Doce em Avintes, Vila Nova de Gaia, terá sido obrigada a permanecer em pé no local de trabalho durante 8 horas.

Tendo sido vítima de assédio moral, a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional já está a acompanhar a situação.

É referido que a loja é um franchising, isto é, explora a marca e o conceito de negócio.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

China ajuda Paquistão com “armas biológicas” para combater ataques

TRABALHO REMUNERADO, NÃO UMA VIDA DE COMIDA, ROUPA E DINHEIRO ESMOLADOS.

Viana do Castelo: aprovado o PDF - Plano de Defesa da Floresta